Briedel – terra natal

Cidade

A cidade natal da Família Melges radicada no Brasil é Briedel, que em 1845 – quando Jakob Melges imigrou para o Brasil – não passava de uma pequenina aldeia, com pouco mais de 1.300 habitantes, às margens do rio Mosel, no sudoeste da Alemanha; na região conhecida como Mosela, que pertencia a região administrativa de Trier, uma província renana do reino da Prússia, e hoje faz parte do estado Alemão federado conhecido como Rheinland-Pfalz (Renânia Palatinado).

A ocupação de Trier pelos franceses, em 1794, destruiu velhos sistemas e antigas tradições, quando a economia sofreu forte abalo e ficou paralisada; provocando a desvalorização da moeda e estagnação geral que persistiu até 1815. Neste período grande parte da força de trabalho foi convocada para servir nos exércitos de ocupação e de conquistas.

Naqueles tempos, a Prússia anexou a Renânia aos seus territórios, em seguida (século XVII) a região ficou alguns anos sob ocupação francesa e, a seguir, espanhola, originando uma situação desoladora, que somente se normalizou em meados do século 18.

A economia, fundamentada na viticultura, que anteriormente funcionava eficientemente, sofreu forte abalo e ficou paralisada, quando bens e propriedades foram confiscados, e as corporações de artesãos permaneceram paralisadas, sem trabalho e sem condições de formar novos profissionais.

A grande maioria da população levava vida modesta nos meios urbanos, e vida muito pobre no meio rural; quando o alimento básico (batata inglesa) passou a ser prejudicado por diversas pragas. Coroando esta situação, o ano de 1817 foi marcado pelo chamado inverno da fome, obrigando grande número de pessoas e famílias a migrar, em busca da sobrevivência, principalmente para a América.

Neste contexto nosso imigrante – Jakob Melges – partiu, junto de inúmeros outros conterrâneos, sua esposa, seu filho Simon, sua mãe e irmãos, rumo ao desconhecido.

Hoje, Briedel, no coração do Mosel, localizada à margem do Rio Mosel, logo pertinho de Zell, fica a 41 km de Cochem e 91 km de Koblenz; e é a terra do vinho!!!

Uma das suas atrações é a Igreja católica “St. Martin”, e localizada no centro da cidade encanta a todos com suas pinturas, seu órgão, seu teto, seu altar. Foi nela, construída entre 1772 e 1776, que Jakob Melges foi batizado em 1822 e casou-se em 1844.

Trier era denominada Villa Romana Augusta Treverorum, e seu monumento “Porta Nigra” é dos tempos romanos. Foi o centro administrativo da região que incluia Briedel. Os antigos documentos dos habitantes de Briedel estão no Arquivo Diocesano de Trier.(Diocesan Archives OU Bistumsarchiv).

Cronologia de Briedel :

  • Ao redor dos      anos 100: Vilas romanas no Mosel e em Briedel.
  • 200: Romanos –      Olaria romana;
  • 293:      “Constantius Chlorus 1” , que governadores romanos em Trier,      levavam na bagagem em seu retorno a Roma – vinho de Briedel – que deve ter      deliciado o guloso imperador Diokletian;
  • 353/355: Destruição      dos reforços e as vilas romanas pelos teutônios.
  • 407/418:      Francos e Alemães pilham Trier, residências do imperador e vales do Mosel;
  • Ao redor de      475: Briedel e a província de Mosel finalmente nas mãos dos francos. Os      romanos e sua população permaneceram extensamente no vale de Mosel e      viveram ao lado dos francos – conquistadores. Gradualmente aconteceu a      fusão dos grupos étnicos. Com o passar do tempo, os habitantes tiveram      linguagem própria, o chamado romano do Mosel. Os lingüistas supõem que o      “Germanisierung” foi extinto por volta do século 12.
  • Ao redor de      600: A construção da primeira igreja católica com o patrono St Martin;
  • 748 – 20 de      maio: primeira menção autêntica de Briedel. Crônica do bispo de Metz noticiou      com consentimento do Hausmeiers Pippin, mais tarde (primeiro) rei dos carolingios      (751-768) o Gorze estabelecido como claustro em Metz, ao lado de muitas      outras posses o vinho a Briedel (Bredaculo). O Therewith documenta que      também é um dos mais antigos registros sobre vinhateria no vale de Mosel.
  • 893 – 17      fevereiro: Rodbert bispo do estado de Metz – ordenava uma pensão de vinho      em “bredallio de vila” para o claustro;
  • 958 – Outubro:      O Santo do claustro. O Trond herda em Briedel, dois terrenos e vinha;      primeira prova autêntica sobre uma igreja existente;
  • 1.107: O Papa      Pascal II confirma a posse de vinha, campos e tudo que pertence.
  • 1.144: O      imperador Konrad III confirma o claustro a posse de vinha.
  • 1.193: mais      uma vez confirma (Bridell).
  • 1152: O Albero      von Mentreuil, Arcebispo de Trierer repartiu seu terreno em Briedel em seu      testamento, aos clérigos da catedral de Trier.
  • 1.154: Nova      ordem determinando que a décima parte da produção da vinha, era do      claustro.
  • 1.376 31 de      maio: Briedel recebe o direito de cidade. Briedel torna-se componente do      país em Trier. Os cidadãos celebram o fim da servidão, mas compreendem,      contudo que nada mudou, e que o resquício da escravidão existe.
  • 1.539: Havia      uma abundância em grãos e em vinho que os barris não bastaram.
  • 1.554: Em um      documento original a situação do vinhedo é mencionada pela primeira vez o      vinho (coração Doce) ou “Briedeler Herzchen”.
  • 1.570: uma      tempestade com pequenos granizos destrói a colheita inteira de uvas.
  • 1.575:      Inundação (20 cm mais alta do que a ocorrida em 1993)
  • 1.597: Uma      praga ataca Briedel.
  • 1.618 – 1648:      uma longa guerra que durou 30 anos golpeia profundamente as terras do      Mosel.
  • 1.620: Tropas      espanholas e do lothringische ocupam o vale do Mosel.
  • 1.632/1635:      Tropas suecos pilham e assassinam em Briedel.
  • 1633: É      mencionado escola e professor em Briedel (educação).
  • 1635/1636: A      praga ataca uma terceira vez a população de Briedel.
  • 1.643: Erguida      a “cruz de Reiler”.
  • 1.650: Depois      que a paz volta a Westphalian, as ações de batalha vão para o Mosel. As      tropas francesas atropelam-se na igreja de Briedel.
  • 1.650 – 1.680:      Chegaram em Briedel numerosos “estrangeiros”, pessoas que não      eram da região de Trier, muitos, antigos soldados.
  • 1.666: Mal de Letzten      – Peste em Briedel.
  • 1.674: Segunda      guerra de pilhagem (roubo) em (1672-1678 foram os Holandeses). Briedel e      alguns vizinhos se negam a “contribuir” com as tropas francesas      de guarnição em Trier. Como ato de vingança, são punidos.
  • 1.684: Johann      Adam Güllen participa fora de Briedel, da Guerra Turca;
  • 1.689: O      reforço conspirado dos franceses é destruído.
  • 1.690: Quatro      Briedelenses afogam-se no Rio Mosel, quando na viagem de retorno da      colheita uvas.
  • 1.767:      Catástrofe, 13 casas com celeiros e porões se incendeiam.
  • 1.772 – 1774:      Construção da atual Igreja St. Martin.
  • 1.780: A      instalação de um órgão, construído pela família Stumm.
  • 1.784: O      Briedel é habitado por 144 pais, 160 mães, 210 filhos, 197 filhas, 6      serventes, e 15 moças, ao todo 732 pessoas.
  • 1.786-88:      Emigração para a Hungria.
  • 1.788: O      inventario de construções para seguro contra incendio, Briedel tinha 142      construções com um valor de 37.900 Reichstaler.
  • 1.803: Foram      leiloados bens da Igreja e claustros, sob bandeira francesa; e os      monastérios foram dissolvidos.
  • 1.813: Tropas      prussianas aliadas salvam a aldeia.
  • 1.814: A      Áustria e Baviera reinvindicam a região.
  • 1.815: Briedel      passa à Prússia.
  • 1.815: O      Briedel tem 837 habitantes.
  • 1.822:      Nascimento de Jakob Melges.
  • 1.831-1.832:      Construída uma nova escola no Mosel.
  • 1.842-44: Epidemia      de tuberculose e praga no gado;
  • 1.843: No      córrego de Briedel, quatro moinhos estão funcionando;
  • 1.844:      Casamento de Jakob Melges na Igreja St. Patrick.
  • 1.828-1.895: A      onda de emigração, predominantemente para o Brasil!!!
  • 1.845: Partida      de Jakob Melges e outros para o Brasil.
  • 1847: Briedel      pertencia a região administrativa de Trier (Tréveris) fundada pelos      Romanos.
  • 1.865: A      sacristia ao lado da igreja é construída.
  • 1.885: Grande      incêndio na rua romana.
  • 1.893: Em      janeiro enormes icebergs se amontoavam no Mosel e marcaram  a maior geleira desde Menschengedenken;      sendo que no alto verão sobras de gelo ainda eram visíveis.
  • 1.894: Fundação      da Sociedade de harmonia de canção masculina em Briedel (coro).
  • 1.912 – os      cidadãos de Briedel vendiam uvas nos trens.
  • 1.914-1.918: A      primeira guerra mundial, entrega de dois sinos.
  • 1.918 – Tropas      Americanas entram em Briedel.
  • 1.919:      Ocupação francesa.
  • 1.920: A      fundação camuflada do clube de esportes em Briedel.
  • 1.926:      Inquietação grande de cultivadores de uva na Moselle.
  • 1.950:      Celebrado o primeiro dia do vinho coração festivo de Briedeler      “Weinfest Briedeler Herzchen”.

Imigrantes de Briedel para Brasil: Em 1846/47 muitos habitantes de Briedel imigraram para o Brasil, entre eles, a família Hillesheim/Stölpen e Back que vieram no mesmo navio e se estabeleceram na mesma Colônia alemã em Santa Catarina/Brasil.

NEWSLETTER

Inscreva-se para receber nossa newsletter...

Esta informação nunca será compartilhada!